Georgeo: “queremos que a verdade seja dita e a verdade é que o Estado passou a mão em R$ 27 milhões das prefeituras em 2016”

Georgeo Passos promove audiência sobre saúde na Assembleia Legislativa
21 de novembro de 2017
Georgeo cobra transparência da Sefaz
22 de novembro de 2017
Exibir tudo

Georgeo: “queremos que a verdade seja dita e a verdade é que o Estado passou a mão em R$ 27 milhões das prefeituras em 2016”

Continuou na Assembleia Legislativa o debate sobre o repasse o repasse do ICMS que o Governo tem que fazer para as prefeituras e que não vem acontecendo da maneira correta. Na manhã desta terça-feira, 21, o deputado estadual Georgeo Passos (PTC), líder da posição na Alese, reafirmou que o Estado vem se apropriando, de maneira indevida, do dinheiro dos municípios.

A fala de Georgeo aconteceu durante a explicação pessoal para rebater o discurso feito pelo líder do Governo, deputado Francisco Gualberto (PT), que utilizou o pequeno expediente para desqualificar a tese do oposicionista. Gualberto prometeu que na próxima quinta-feira irá apresentar dados mostrando que o Estado não vem comente equívocos.

Georgeo lembrou que o próprio Tribunal de Contas do Estado já confirmou que o Governo não vem fazendo o repasse correto para as prefeituras. “Não falsifiquei e nem criei um documento do TCE. O relatório que apresentei foi feito por uma técnica do Tribunal após vistoria na Secretaria da Fazenda, que constatou que o Estado passou a mão em R$ 27 milhões de reais dos municípios somente em 2016”, afirmou.

“O número do processo é 400/2017 e tanto o líder do Governo como toda a população podem conferir a sua veracidade. Jamais iria falsificar uma informação para estar nesta tribuna. Eu estudo esse tema desde novembro do ano passado. Sei que é algo grave, por isso que procurei os órgãos competentes. Se não tivéssemos ingressando no Ministério Público e no Tribunal de Contas o Governo continuaria com o dinheiro e ficaria por isso mesmo”, completou.

Ainda em sua fala, o líder da oposição lembrou que nos últimos dias o Estado emitiu uma nota reconhecendo o erro e prometendo fazer o repasse correto. “Por isso, essa tentativa de nos desqualificar de Gualberto só soa como uma tentativa desesperada de esconder a verdade”, comentou. Ainda assim, Georgeo disse que vai esperar os argumentos do governista na próxima quinta-feira.

“Ficamos aguardando os documentos que ele irá apresentar mesmo sabendo que dificilmente irão rebater um relatório do Tribunal de Contas do Estado. Queremos que a verdade seja dita e a verdade é que o Estado passou a mão em 2016 de R$ 27 milhões das prefeituras. Isso é que eles terão que assumir”, finalizou Georgeo.

Entenda

Segundo o artigo 158, IV da Constituição Federal, pertencem aos municípios 25% do que for arrecadado com o imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e prestações de serviços. Contudo, descobriu-se que o Estado não está dividindo o bolo de maneira correta desde o ano de 2014. A soma é astronômica, podendo chegar a R$ 70 milhões de apropriação ilegal nas prefeituras neste período.

O primeiro a se atentar para esta irregularidade foi o deputado estadual Georgeo Passos (PTC). No início deste ano, o parlamentar ingressou com uma representação no Tribunal de Contas do Estado pedindo para o órgão analisar possíveis inconsistências nos repasses da cota de ICMS. Em relatório de análise técnica, o TCE averiguou que somente no ano de 2016 o governo deixou de enviar o montante de R$ 27 milhões às prefeituras.

Este foi o primeiro documento reconhecendo a irregularidade, mas a conta não para de crescer. Neste ano de 2017, o déficit no repasse já chega a casa dos R$ 29 milhões até agosto. Georgeo, que também ingressou com uma representação no Ministério Público sobre este tema, avalia que a atitude do Executivo é delituosa e que necessita de previdências urgentes. “É um dinheiro que pertence a essas cidades e o Estado está se apoderando ilegalmente. Não podemos mais tolerar isso”, afirmou.

E a resposta pode representar a perda do mandato do governador. Georgeo não descarta a possibilidade de ingressar com uma ação por crime de responsabilidade contra o governador Jackson Barreto e o secretário da Fazenda ou mesmo com o pedido de intervenção federal em Sergipe. Para o Banese, poderia representar a perda da gestão desses recursos. “A Lei Complementar 63/1990 nos assegura isso”, garantiu.

Daniel Soares
Daniel Soares
Jornalista da equipe de Assessoria de Comunicação do Deputado Georgeo Passos. DRT 1806. Contato: (79) 99802-2490.