Ação Civil Pública pode suspender apreensão de veículo por atraso no IPVA

Georgeo participa de reunião no Banco Central sobre repasse do ICMS para os municípios sergipanos
20 de dezembro de 2017
Queda do FPE em 2017 – mentira ou meia verdade?
8 de janeiro de 2018
Exibir tudo

Ação Civil Pública pode suspender apreensão de veículo por atraso no IPVA

A Ordem dos Advogados do Brasil, em Sergipe, irá ingressar com uma ação civil pública contra o artigo 22 da Lei Estadual nº 7.655/2013, que estabelecem a obrigatoriedade do pagamento conjunto do licenciamento e do IPVA, sob pena de apreensão do veículo automotor.

Em outras palavras, a ação pode suspender a apreensão de veículos por débitos no IPVA. A decisão foi tomada na última semana, após aprovação do Conselho Seccional da entidade e ocorreu depois de provocação do deputado estadual Georgeo Passos (PTC) à OAB/SE.

O deputado, inclusive, é autor de um Projeto de Lei que impede as repreensões dos veículos por este motivo. Georgeo explica que a prática de apreensão do veículo feita pelo Governo do Estado, por falta de pagamento do imposto é ilegal e que ele deve ser cobrado separado do licenciamento.

“O cidadão não pode ter o seu carro apreendido porque o IPVA está atrasado. Além disso, ele tem o direito de pagar o imposto separado das taxas de licenciamento. Sabemos que infelizmente não é isso que acontece e que o Governo faz a apreensão de veículos que estão com o imposto atrasado em confronto com as recentes decisões da Justiça”, afirmou.

“O valor do imposto é alto e muitas vezes o cidadão deixa de pagar o licenciamento por causa da obrigatoriedade de pagar as duas cobranças juntas. Desta forma, o motorista acaba tendo o veículo apreendido em uma blitz. O certo é que com o pagamento do licenciamento, as pessoas já deveriam ter o direito de ter seu veículo regularizado”, completou o parlamentar.

Ação

A decisão da Ordem de ingressar com a ação civil pública teve parecer favorável da Comissão de Estudos Tributários e a Comissão de Estudos Constitucionais da OAB, que entendeu a inconstitucionalidade e ilegalidade da exigência do pagamento conjunto. A leitura é de que essa obrigatoriedade fere o princípio da razoabilidade uma vez que condiciona a concessão de uma licença ao pagamento de um imposto que não guarda relação com o poder de polícia de serviço público específico.

Segundo Georgeo, o apoio da OAB nesta causa é importante para garantia de direitos dos cidadãos. “A Ordem entendeu que a nossa denúncia tinha pertinência. Esperamos agora que a ação seja acatada e a Justiça suspenda essa irregularidade o quanto antes”, comenta. O deputado assegura que a intenção não é acabar com o imposto, mas garantir que as pessoas não sejam mais penalizadas por causa do IPVA.

“O Governo tem meios legais de fazer a cobrança separada. Sabemos da importância deste tributo para a receita do Estado, mas o cidadão não pode ser penalizado a tal ponto de ter seu veículo apreendido em caso de não poder pagar o IPVA naquele momento, afinal, a lei estadual já prevê tudo que é necessário para a cobrança separada do imposto e do licenciamento”, finaliza Georgeo.

Daniel Soares
Daniel Soares
Jornalista da equipe de Assessoria de Comunicação do Deputado Georgeo Passos. DRT 1806. Contato: (79) 99802-2490.