single-post

Georgeo Passos solicita que o PL do TJSE seja pautado e cobra reajuste dos servidores efetivos do MPSE

22/02/2016

O deputado estadual Georgeo Passos, PTC, utilizou o grande expediente da Assembleia Legislativa, na tarde desta segunda-feira, 22, para cobrar que a Casa dê andamento ao Projeto de Lei que reajusta o salário dos servidores efetivos do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe. O PL de autoria do TJ foi protocolado no início do ano, no entanto, ainda não foi prevista a data de sua votação em plenário. ?Esse projeto foi enviado à Alese, mas está parado atualmente. Queremos nos somar a essa luta, pois sabemos da importância dele para os servidores efetivos do TJ. A Assembleia tem que colocá-lo na pauta de votação. Nós que fazemos a oposição temos a capacidade de ajudar?, comentou. A proposta oferta reajuste de 6,5% aos funcionários do Tribunal. Mas Georgeo lembrou que ele não contempla o desejo da categoria. ?O Sindicato dos Servidores do TJ está lutando para que seja recomposta também a inflação do ano passado que seria de 11,28%, mas o Tribunal só pode ofertar os 6,5%. Vamos estar do lado dos servidores e esperamos contribuir para que essa conquista aconteça a partir do momento em que o projeto seja colocado em pauta?, assegurou o parlamentar. MP Georgeo Passos cobrou também o reajuste salarial dos servidores efetivos do Ministério Público Estadual ? MPE. ?Essa é uma luta que já dura há algum tempo, mas que até o momento esses funcionários não têm perspectiva de aumento. A categoria deseja um aumento de 10,7%, mas não tem resposta plausível?, comentou. ?A situação dos servidores do MP é crítica. É um dos piores vencimentos de todos os Ministérios Públicos do Brasil. Desde o ano passado, que eles estão tentando dialogar, mas até hoje não se chegou a uma solução para este impasse. Querem a incorporação de uma gratificação (GEO I) e a recomposição da inflação. Não é nada exorbitante?, completou. O parlamentar lembrou que na manhã desta segunda-feira o Sindsemp, responsável pela categoria, realizou ato público em frente à sede do MP reivindicando esses direitos. O deputado aproveitou e fez duras críticas ao fato de, tanto o TJ quanto o MP, negarem um reajuste maior ao funcionalismo alegando dificuldades financeiras. ?Enquanto o discurso do poder Judiciário e MP são de que estamos em crise, por outro lado, nós vemos Magistrados e representantes do MP recebendo auxílio moradia de mais de R$ 4 mil. Ou seja, mais do que o salário de um servidor efetivo. Se está em crise, deveria se reduzir a despesa e não aumenta-la com pagamento, inclusive a possibilidade do retroativo, desse benefício?, alegou Georgeo. Por fim, o deputado também cobrou a atenção do Governo em relação aos demais servidores públicos estaduais que estão há três anos sem reajuste algum.