single-post

Audiência na Alese discute panorama da assistência farmacêutica

09/09/2019

Aconteceu na manhã desta segunda-feira, 9, no plenário da Assembleia Legislativa a Audiência Pública “Panorama da Assistência Farmacêutica no Cenário Nacional e Local”. A iniciativa foi do deputado estadual Georgeo Passos, Cidadania, e teve a parceria do Conselho Regional de Farmácia de Sergipe (CRFSE).

Foram realizadas três palestras durante a audiência pública. A primeira, ministrada pela Dra. Gilcilene Maria dos Santos El Chaer, presidente do Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal e membro da Comissão Parlamentar do Conselho Federal de Farmácia. Ela abordou “A Assistência Farmacêutica na Legislação Federal: avanços e ameaças”.

A especialista enfatizou a importância do cuidado do farmacêutico a saúde da população e apresentou experiências exitosas de alguns estados e municípios que contrataram farmacêuticos, principalmente na atenção básica. “A intenção é mostrar quanto o farmacêutico pode ser útil à saúde da população e como pode ser aproveitado. No Rio Grande do Sul e Distrito Federal tivemos uma experiência bastante positiva colocando esse profissional no Ministério Público e Defensoria Pública”, colocou.

A segunda palestra tratou o tema “Implantação do Curso de Farmácia na UFS e o seu impacto na Assistência Farmacêutica Sergipana” e foi apresentada pelo Dr. Divaldo Pereira Lyra Júnior, professor da Universidade Federal de Sergipe. Já Marcos Cardoso Rios, presidente do Conselho Regional de Farmácia de Sergipe, discursou sobre a “Assistência Farmacêutica em Sergipe: Impacto nos serviços Públicos e Privados”.

“Temos buscado, através das fiscalizações, fazer um panorama da assistência farmacêutica no estado para orientar o cumprimento de legislações específicas. Queremos deixar claro, que o farmacêutico pode contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes, otimização dos recursos em saúde, bem como, trazer recursos para os municípios”, afirmou Marcos Rios.

O deputado Georgeo disse que ficou impressionado com o nível do debate realizado no plenário. “Não imaginava o tamanho da relevância dessa classe para a saúde pública como um todo. Foi possível verificar a importância do trabalho. Muitas pessoas estão se automedicando sem terem o devido conhecimento, e o profissional de farmácia pode auxiliar para evitar problemas”, ponderou.

Uma das questões levantadas durante a audiência pública foi sobre cursos de farmácia na modalidade de educação à distância. A categoria demonstrou preocupação com a instalação desses cursos. “Vamos continuar conversando e buscando formas de contribuir não somente com este mas com outros temas que sejam benéficos para a assistência farmacêutica local. Ficarei feliz em poder contribuir”, garantiu Georgeo.