single-post

Georgeo: “Está na hora da Alese, MPE, TCE e TJ ajudarem a minimizar a fome em SE”

13/04/2021

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) sugeriu, em um aparte feito ao discurso do deputado Zezinho Guimarães, na manhã desta terça (13), que a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Tribunal de Justiça (TJ) destinem uma parte dos recursos que recebem via duodécimo para a Secretaria Estadual de Assistência Social a fim de minimizar o avanço da fome em Sergipe.

O parlamentar lembrou que no ano passado a Alese destinou recursos para a compra de insumos para a saúde pública de Sergipe, através de um convênio firmado com a Secretaria Estadual de Saúde (SES). “No ano passado, nós ajudamos a comprar insumos para a saúde aqui no Estado, através daquele convênio com a SES. A Assembleia pode fazer a mesma coisa agora. E o Tribunal de Justiça e o Ministério Público deveriam somar nessa questão, afinal, está na hora da Alese, MPE, TCE e TJ ajudarem a minimizar a fome em SE”.

De acordo com o deputado, os números de pessoas que passam fome em Sergipe aumentaram bastante depois da pandemia. “A pandemia aumentou o taxa de desemprego. Além disso, muitas pessoas estão impedidas de irem em busca de seu sustento, o que contribui bastante para aumentar a quantidade de pessoas que passam fome em Sergipe. A fila de pessoas no Padre Pedro aumento e deve ser pelo valor acessível da refeição, já que com R$ 1,00 a pessoa garante um prato de comida”.

Georgeo também criticou a postura do Governo em não usar os recursos disponíveis no Fundo de Combate à Pobreza no combate à fome. “Esperamos que o Governo esteja atento a essa questão. Que ele cuide da saúde, mas que lembre que as pessoas estão passando fome em Sergipe. Infelizmente, o que vemos é o fracasso de uma política pública de Assistência Social que atua há mais de dez anos e não reduziu a miséria e ainda consegue guardar o dinheiro do Fundo de Combate à Pobreza, que tem cerca de R$ 80 milhões em caixa”.