single-post

Palestra na Alese expõe o caos na oncologia em Sergipe

10/06/2016

Na manhã da última quinta-feira, 9, o grande expediente da sessão na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe foi utilizado para a palestra do médico Nivaldo Vieira. A convite da deputada estadual Silvia Fontes, PDT, o profissional abordou o tema ?Saúde da mulher ? visão oncologista?. A apresentação ocorreu em alusão ao Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher, celebrado no dia 28 de maio. O médico falou sobre os tipos diferentes de câncer e também sobre a prevenção e o tratamento. Porém, as palavras do profissional e o depoimento das participantes do Projeto Mulheres do Peito ? ação que objetiva divulgar informações sobre o câncer de mama por mulheres que já passaram por essa experiência ? que acompanharam a palestra, foram além do tema proposto e expuseram o caos no atendimento em oncologia oferecido pelo Estado de Sergipe. ?É triste ver que o Estado não está se mexendo na velocidade que deveria para bem atender os pacientes em oncologia. Eu, enquanto médico, não pude retribuir para a sociedade todo o conhecimento que adquiri por que falta estrutura. Um País é feito de cidadãos, porém, o Estado não está prestando o serviço que o cidadão necessita?, lamentou o médico Nivaldo Vieira. Sheyla Galba, integrante do Projeto Mulheres do Peito, também lastimou a falta de estrutura. ?A saúde do Estado precisa de socorro?, afirmou. Como alguém que sofreu as mazelas do câncer, Sheila comoveu a todos ao lembrar o quanto que a falta de atendimento do Estado para o paciente em oncologia é prejudicial. ?Todos nós sabemos em quanto o tratamento precoce da doença ajuda. Mas, do que adianta descobrir cedo se o tratamento for interrompido ao meio??, questionou Sheila. Acompanhando o debate, o deputado estadual Georgeo Passos, PTC, também criticou a falta de atenção do Estado para os pacientes oncológicos. Para ele, é uma prova contundente de que o Estado fracassou em suas obrigações. ?Quando chega na questão do câncer vemos o drama que vivemos. A fila de pacientes é grande e o nosso Estado não se preparou para essa demanda. É preciso repensar medidas para melhorar o atendimento, ou dias piores virão?, alertou o parlamentar